Você quer brincar na neve?

O Rework Lúdico de Nunu

Toda vez que a Riot se propõe a “recriar” os campeões, algumas pessoas sentem um calafrio, o temor de que a mudança do campeão será tão brutal que ele será irreconhecível é real. 

Com Nunu isso não foi diferente, o anúncio mexeu com as expectativas das pessoas e muito se teorizou, até que os primeiro indícios surgiram.

Nunu era merecedor de um rework digno, o campeão fazia parte de uma classe de personagens que há muito estavam desatualizados no jogo tanto esteticamente quanto em questões de jogabilidade, vindo a aparecer vez ou outra em situações muito especificas.

Apostando no lúdico, no fantasioso e até no infantil, a Riot então revelou esse novo campeão, que agora não era mais apenas “Nunu” mas sim:

Nunu & Willump

Um campeão que carrega a dupla em seu nome, uma parceria entre uma criatura enorme e poderosa, com aspecto que pode variar de fofinho até assustador e uma criança, com sonhos, esperança e inocência.

Isso faz com que o yeti, que sempre foi o maior destaque visual do campeão, assuma sua importância no cerne do campeão e na lore dessa dupla fantástica, ele não permanece apenas como um apoio visual para justificar habilidades mágicas.

Se antes Willump era apenas um monstro “domado” por Nunu, quase sem história, agora temos um amigo de verdade, um protetor, ao melhor estilo “a inocência das crianças precisa ser preservada”.

Essa dupla é uma ponte entre o passado de Freljord e a época atual, com Willump vindo a ser uma criatura antiquíssima, mais antigo até que Lissandra, Avarosa e Serylda, as três irmãs gélidas e ancestrais .

“Não irrite o Yeti, não vai gostar de ver ele irritado “ nunca foi tão real, o Yeti é uma criatura de magia ancestral que até mesmo Lissandra, com seus milênios de idade, respeita e teme, isso por si deve ser uma dica suficiente para os apaixonados por lore entenderem o potencial do poder de Willump.

A conexão entre Nunu e o yeti Willump não é uma novidade nas mídias, especialmente quando lembramos de criaturas grandes que cuidam de crianças, como essa dupla icônica:

Sully e Boo já devem ser conhecidos de qualquer pessoa mesmo de quem não assistiu à animação Monstros S.A.

De forma similar a Nunu & Willump, temos os dois elementos em conjunção, uma criatura enorme, poderosa e mortífera e uma criança com sua inocência doce que vale a pena ser preservada.

Os paralelos não terminam por aí, assim como Willlump protege Nunu no mundo gélido de uma criança que se afastou de sua mãe, Sully protege Boo em um mundo de monstros onde ela é algo a ser temido.

Toda essa relação vem justamente na contramão de fazer com que crianças temam os monstros grandes e peludos, fazendo com que aprendam a avaliar a personalidade de todos sem cair em preconceitos.

Ao assumir esse papel, Nunu & Willump também dão espaço para a variedade e para a diversidade, lembrando que League of Legends é jogado por pessoas que gostam de visuais agressivos em campeões, como Mordekaiser, Renekton, mas também é jogado por pessoas que gostam de coisas mais lúdicas e fantasiosas, como Lulu, os Yordle no geral, entre muitos outros aspectos.

Uma outra dupla similar das mídias, com uma dinâmica completamente diferente, mas esteticamente similar é Aang e Appa.

Nessa segunda dupla de “criança e seu monstro” temos uma relação bem diferente, mas ao mesmo tempo com um aspecto que não existe em Sully e Boo, Aaang está destinado a um poder imenso, algo transformador de realidades e que pode mudar o eixo do mundo.

Nunu partilha disso, se não por destinação, pelos acasos do destino de colocarem em sua jornada o Yeti portador da magia que pode transformar a realidade, algo que apenas o sonho e a esperança de uma criança poderiam ser portadores dignos em sua inocência e doçura.

Poderíamos chamar a historia desses dois campeões de “A fábula do menino e seu Yeti” pois é a essa camada narrativa que somos apresentados inicialmente. No entanto Willump é muito mais do que parece aos olhos, uma criatura sábia e antiga que tem a entrada de Nunu em sua vida como um marco.

Graças a essa reformulação, os Yetis foram também trabalhados em sua história, eles já foram um povo orgulhoso que acabou perdendo sua magia e caindo para a selvageria, sendo o último portador dessa magia, Willump, que protegia a mesma e acaba a passando para Nunu, pois ele é uma criança e sua esperança lhe dão o poder de sonhar.

Esse poder de sonhar é visto em toda sua glória em suas falas, Nunu percebe o mundo com uma ótica única que remete à ótica que todas as crianças tem, eles visualizam aventuras em apenas alguns gravetos e conseguem imaginar um exército poderoso em apenas algumas formigas passando pela sua frente.

O tom lúdico não poderia ser melhor representado do que com o boneco de neve, ao passo que para Nunu é algo que ele construiu e, portanto, conhece suas limitações, para Willump pode remeter a muitas criaturas que ele encontrou em sua longeva vida.

Com isso fica evidente que foi um rework realmente fantástico, trazendo vida para um campeão antigo feito em uma época onde o League of Legends ainda dava seus primeiros passos, recebendo uma repaginada boa o bastante que pode vir a permitir que ele figure entre os campeonatos mas também com suas características únicas no mar de campeões de League of Legends.

E aí, vamos brincar na neve?